Segunda roda de conversa do ciclo “Rede LIESS em tempos de pandemia: preparação do V CIEDSI”

Carxs companheirxs, depois da mesa muito interessante que deu início a essas reuniões virtuais, continuamos com a segunda mesa que será realizada no dia 27 de abril, às 10h no México, às 13h em Brasília e às 18h em Madrid.

Tema da roda de conversa: Políticas sexuais, moralidades e conservadorismos: reflexões a partir da população LGBTI+

Tema de la mesa redonda: Políticas sexuales: moralidad y neoconservadurismo: reflexiones a partir de la población LGTBI

 

Data:

Quinta-feira, 27 de abril de 2021.

 

Horário:

10 horas no horário do México;

13 horas no de Brasília (BR);

18 horas na Espanha.

 

Participantes:

José Ignacio Pichardo Galán é Doutor em Antropologia Social pela Universidad Autónoma de Madrid. Professor Titular do Departamento de Antropologia Social e Psicologia Social da Universidad Complutense de Madrid, responsável pelas disciplinas “Antropologia do Gênero”, “Construção cultural das diversidades sexo-generificadas e familiares” e “Gestão da diversidade”. Tem como principais temas de interesse parentesco, família, sexualidade, gênero, masculinidades e interculturalidade. Também é diretor do Grupo de Pesquisa em Antropologia, Diversidade e Convivência, secretário da Asociación de Antropólogos Iberoamericanos en Red - AIBR e membro do Instituto Madrileño de Antropología, do Instituto de Investigaciones Feministas de la Universidad Complutense e do Instituto de Universitario de Estudios de la Mujer da Universidad Autónoma de Madrid.

Mauro Cabral é historiador e em 2009, com demais ativistas fundou o GATE, organização internacional que trabalha com questões de identidade de gênero, expressão de gênero e diversidade corporal. Em 2017, se tornou Diretor Executivo da mesma organização, função que desempenha até hoje.  Mauro é um ativista de longa data e muito respeitado nos movimentos trans e intersex internacionais - sendo um dos signatários iniciais dos Princípios de Yogyakarta. O ativista também atuou em diferentes ações que levaram à aprovação de uma lei pioneira sobre identidade de gênero pelo Senado argentino em abril de 2012. Recentemente, coordenou a iniciativa do GATE no processo de revisão e reforma da Classificação Internacional de Doenças (CID - 11), lançada em 2019.

Sonia Correa é pesquisadora Associada da ABIA, Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS/Observatório Nacional de Políticas de AIDS,  e Co-Coordenadora do Observatório de Sexualidade e Política - SPW, um fórum global composto por pesquisadores e ativistas envolvidos nas análises das tendências globais em políticas relacionadas à sexualidade. Entre 1992 e 2009, foi coordenadora de pesquisa em saúde e direitos sexuais e reprodutivos na DAWN, uma rede feminista do Hemisfério Sul. Entre as suas atuações, acompanhou de perto as negociações das Nações Unidas que afetam diretamente questões relacionadas ao gênero e à sexualidade: a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (Cairo, 1994), a IV Conferência Mundial sobre as Mulheres (IV WCW-Pequim, 1995) e suas respectivas revisões. Sonia também foi uma das signatárias iniciais dos Princípios de Yogyakarta.

 

Link para inscrições: https://sigaa.ufrn.br/sigaa/link/public/extensao/visualizacaoAcaoExtensao/91817647

 

Para dúvidas e informações: vciedsi@gmail.com

 

Atenciosamente, 

Comissão Organizadora do V CIEDSI